Dica de série: Outlander

        Olá pessoal, olha eu aqui novamente e desta vez trago dica fresca de uma série recentemente assistida e que simplesmente me pegou em cheio .
              Como bem sabemos, pelo menos acho que a maioria, a série de livros que compõem a saga Outlander, da escritora Diana Gabaldon, estão sendo relançados no Brasil pela Arqueiro que, óbvio, tem se aproveitado da série baseada nos livros para impulsionar as vendas.
              Confesso que já tinha ouvido falar dos livros há muito tempo, mas até então boa parte dos volumes já estavam esgotados e o furor da saga criada por Diana Gabaldon, embora constantemente elogiada pela crítica e pelo público, foi perdendo espaço por aqui.
                Ok. Podia viver sem os livros e levar uma vida tranquila até em agosto de 2014 o canal de televisão Starz exibir a série e, por causa dela, alavancar a emissora que comparada a outros canais de televisão americanos é mais modesta.
Pois bem, aguardei ansiosamente pela disponibilidade da série em DVD e assim que adquiri a primeira temporada logo comecei a assisti seus capítulos e fui arrebatada!



Um pouco da história...

                A série é fantástica e além de retratar muito bem a época na qual se passa a história,  a trama em si é muito envolvente e nos apresenta a personagem Claire Randall que tendo sido enfermeira no período da II Guerra Mundial no pós-guerra viaja juntamente com seu marido Frank à Escócia para uma segunda lua-de-mel após anos separados pela guerra. Porém, após entrar em contato com uma magia enigmática e antiga Claire viaja no tempo, voltando 200 anos no passado, indo parar numa Escócia de 1743, em pleno período do levante jacobita, onde conhece o guerreiro escocês Jamie Fraser e o antepassado de seu marido, o capitão inglês Jonathan Randall.

Observação útil?

                Não se enganem que a série por ter sido escrito por uma mulher vai se tratar desses típicos romances históricos que vemos por aí em que a donzela indefesa é salva de seu algoz por um homem que mais parece um deus grego de tanta beleza e caráter incorruptível ou, ainda, que a donzela perdida é resgatada por uma família aristocrática, sendo criada num castelo longe de toda escória da humanidade. Se você procura isso, então não assista Outlander, pois a série é realista ao extremo não só na caracterização de seus personagens e do ambiente histórico, mas também em retratar a dureza da vida das pessoas em 1743.


Ressalvas...           

Há cenas de violência extrema e ações perturbadoras por parte dos personagens que são motivos mais que suficiente para você agradecer por viver em meio ao conforto do século XXI, pelo menos para a maioria de nós que não vive em países em conflito de guerra, longe de muita coisa como doenças que hoje são praticamente extintas e tantas outras situações bizarras e esmagadoras.
                Sobre a série, de um modo geral, daria umas 4 estrelas se a escala fosse de 0 até 5 porque, além de quase nada nesse mundo ser perfeito, não senti o entrosamento necessário entre o casal protagonista que, longe de mim dizer que não possui uma química, mas que não conseguiu, ao menos nesse início de série, me convencer totalmente. Sem contar que uma cena me chocou particularmente, embora tenha entendido que coisas do tipo deviam ser comum àquela época por justamente servir para desestabilizar o oponente ou vítima: o estupro.
                Sei que em outras séries, como Game of Thrones, a violência e cenas de estupro extrapolam o visualmente "assistível" e que muito provavelmente Outlander nem deva chegar perto _ gente, só para informar, não acompanho a série baseada nos livros de George R. R. Martin, então comento a partir do leio por ou fico sabendo por terceiros_, mas confesso que é difícil para mim digerir que coisas do tipo possam ter ocorrido no passado, muito embora saiba que coisas do tipo ocorrem ainda em nosso presente.
                Enfim, não ficarei me alongando, apenas recomendo que aos interessados em séries que retratam fatos históricos Outlander é altamente recomendado, não somente por isso, mas por trazer tramas ligadas a trama central da viajante do tempo Claire que dificilmente não vão chamar a atenção em certa medida.



Uma última coisa...

                Desejando muito ver a segunda temporada e muito contente porque a série foi renovada para uma terceira temporada! \0/



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Meta de leitura 2016

Uma lição sobre o suicídio

Expressões idiomáticas ao pé da letra