Resenha: Outono (Valéria Schmitt)

Olá pessoal, pois é, nem bem postei uma resenha de livro e eis que estou novamente aqui para postar outra resenha. O livro da vez é Outono da escritora parceira do blog Valéria Schmitt.
Mais uma vez gostaria de agradecer pela confiança que a Valéria teve ao confiar a mim a tarefa de ler e resenhar o seu livro. Espero que gostem da resenha e procurem ler o livro.


Um caldeirão de misturas

Experimente pegar a Saga de Crepúsculo, mesclar a Saga do Harry Potter e complementar com uma pitada de Sabrina: aprendiz de feiticeira e eis que se descortinará diante do leitor “Outono”, recente livro de Valéria Schmitt que conta a história da adolescente Carolina Jardim que levava uma vida tranquila até, após sua festa de aniversário de dezesseis anos, descobrir ser uma bruxa predestinada a se tornar poderosa e, por conseguinte, se ver incumbida da missão de derrotar um terrível bruxo capaz de qualquer coisa para detê-la.
A premissa de Outono, embora não inovadora, seguia interessante até, logo nas primeiras páginas, a história se mostrar rasa em vários aspectos, em especial, com a falta de desenvolvimentos de seus personagens e da trama em si.
Carolina, a protagonista, faz o estilo de muitas outras protagonistas adolescentes: insegura, imatura, chorona e que não tem confiança suficiente em si, embora seja preocupada com as pessoas que ame e esteja disposta a se sacrificar para ver todos bem. Já o seu par, o garoto que humanamente não existe, segue a mesma linha dos mocinhos de histórias adolescentes: belíssimo, forte, misterioso, preocupado, protetor ao extremo e, muito difícil de acreditar, com um senso de castidade além das possibilidades para uma idade em que os hormônios estão no auge. Quanto o algoz da história, Hipollitus, nenhuma novidade também já que o mesmo é mau e quer, caprichosamente, a exclusividade do poder.
Como se não bastasse o fato da protagonista se descobrir uma bruxa poderosa que tem como tarefa destruir o bruxo mau e, como em todo história do gênero, descobrir um modo de ficar ao lado do grande amor de sua curta existência sem que o mesmo a destrua por conta de sua condição excêntrica, há um breve triângulo amoroso que a coloca, muito temporariamente, em dúvida com quem ficar, embora o leitor já saiba como toda história se desenrolará sem problema algum.
O grande problema em Outono é a obviedade das situações e sua ligação com moldes de histórias já consagradas_ o que não significa que sejam boas_ sem que se tenha aí um aproveitamento do que já se tornou bastante clichê, sem contar que o não desenvolvimento da história em termos de descrições mais ricas e menos batidas e de diálogos mais significativos e menos de lugares-comuns somados a alguns erros relacionados à revisão textual empobreça a história tirando parte do que deveria ser, ao menos, uma experiência de leitura interessante.
De qualquer modo, como todo livro, cabe a cada um ler e tirar as próprias conclusões sobre a trama escrita por Valéria Schmitt, levando em consideração que embora Outono não seja seu primeiro livro, a autora vem buscando aperfeiçoar sua escrita e aprimorar seu senso de desenvolvimento literário, assim, resta a nós, enquanto leitores, darmos créditos ao esforço dos escritores, em especial aos nacionais que, infelizmente, podem ser podados pelo atual mercado editorial que, de certo modo, impõem padrões literários que nem sempre se enquadram nos moldes da nossa cultura, mas que nem por isso devem ser deixados de lado.

Comentários

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Obrigada pela resenha Lucy. Outono é um livro voltado para o público adolescente com a finalidade de despertar nos jovens a vontade de conhecer Pitangui, uma cidade prestes a completar 300 anos e completamente esquecida quando se fala em "cidades históricas mineiras". É claro que muitas pessoas que prezam uma literatura mais profunda, mais madura e mais realista, não gostarão do livro. O clichê mocinha, namorado forte, protetor e lindo, povoa a mente de muitas mocinhas que ainda sonham com o príncipe encantado, inclusive a minha e eu já nem sou tão mocinha assim. Obrigada por ler o livro e por escrever sua opinião. Ela vai ajudar muito, com certeza.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Meta de leitura 2016

Uma lição sobre o suicídio

Night Huntress - informação sobre a série