Resenha: Elixir (Hilary Duff)

Olá pessoal, mais uma vez trago um post com resenha de livro, porém este livro em específico fiquei na dúvida se recomendo ou não, portanto, ao invés de marca-lo em "livros recomendados" apenas o indiquei em "livros". Enfim, sem mais delongas, eis a resenha. Espero que apreciem!


Um começo mediano

A celebridade multifacetada Hilary Duff, seguindo a tendência das histórias voltadas para o público adolescente, lançou, em coparceria com Elise Allen, Elixir (Moderna, 280 páginas, 2011), que conta a história de Clea Raymond, típica adolescente de dezessete anos que desde muito cedo se habituou aos holofotes uma vez que é filha de uma grande política e de um renomado cirurgião; entretanto, Clea sempre se sentiu deslocada em todo esse mundo de glamour, sempre se refugiando no que mais gosta de fazer: fotojornalismo.
Com a profissão de fotojornalista a jovem Clea pode viajar para várias partes do mundo e conhecer todo tipo de cultura, das mais exóticas as mais comuns. Assim, numa viagem que faz para o Rio de Janeiro, a fim registar o Carnaval carioca e também investigar o misterioso sumiço do próprio pai, Clea vê seu mundo virar de cabeça para baixo ao notar que, estranhamente, uma figura peculiar de um homem passa a surgir em várias fotos tiradas por ela.
Quando finalmente Clea encontra o misterioso homem de suas fotografias, logo fica impressionada com a estranha conexão que há entre ambos, passando a ter sonhos muito esquisitos em que o tal sujeito e mais três mulheres diferentes, ambas estranhamente são a própria Clea, aparecem juntos em diversos momentos e em determinadas épocas. Então, conforme a jovem se envolve com o homem de suas fotografias e agora de seus sonhos, passa a desvendar a verdade secular por detrás dessa estranha conexão e assim, divididos num triângulo amoroso que envolve Clea, seu melhor amigo Ben e o homem misterioso de nome Sage, estes jovens entram de cabeça numa corrida contra o tempo para desvendar todo o passado, salvar suas próprias vidas e garantir o futuro.
A história flui de modo rápido e a escrita é gostosa de ler por ser simples e não exigir demais do leitor, embora a história narrada não seja nenhum pouco inovadora consegue prender a atenção fazendo o leitor se sentir impelido a chegar ao término da história; porém, a não inovação narrativa de Elixir pode cair no mais do mesmo e fazer com que muitos percam o interesse por sua continuação ou, se ainda a lerem, não criem um vínculo com os personagens talvez pelo fato de os mesmos não trazerem características que os tornem, de certo modo, especiais. Mesmo assim, a leitura ainda é válida para quem quer acompanhar a evolução de Hilary Duff no universo literário, uma vez eu para um livro de estreia a história está mediana.

Comentários

  1. Parabéns pela resenha Lucy! Estou ansiosa para ler Elixir e Devoted e espero não me decepcionar. Beijo!

    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir
  2. humm eh chato resenhar um livro que a gente não gostou muito pq outra pessoa pode ler e gostar, sempre fico com um poko de medo de acabar desestimulando as pessoas a lerem XD Mas juro que acho esquisito qd uma atriz, por exemplo, resolve escrever um livro assim .. sei lá
    http://coisasdebelaa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oie...
    Já tinha visto e ouvido falar desse livro mais nunca tinha parado pra ler nem que fosse uma sinopse dele e acho que é a primeira resenha que leio rsrs
    gostei muito =D
    Add a minha lista de leitura o/
    Obrigada pela visita lá no blog !!! \o/
    Tem resenha nova, se vc puder ir e
    deixar um comentário me deixaria muito feliz =D
    Bjão
    -Rê
    -Fallen In Me

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Meta de leitura 2016

Uma lição sobre o suicídio

Night Huntress - informação sobre a série