Cine & Picoca: Redenção

Bom dia pessoas, olha eu aqui mais uma vez com uma dica de filme que, simplesmente, gostei bastante. O Filme da vez nos faz pensar muito sobre nossas vidas e em como, muitas vezes, é cômodo fecharmos os olhos para os problemas alheios como se eles não pudessem nos afetar ou mesmo nos afetando não pudessem se tornar uma causa particular. Enfim, a seguir a sinopse do filme, trailer e minha opinião sobre o filme em si. Espero que apreciem!

Sinopse
Baseado em uma história real, Redenção mostra a luta de um homem para trazer um pouco de paz e de esperança em uma zona marcada por conflitos. Depois de sair da prisão, Sam Childers (Gerard Butler) vira pastor e, em seguida, passa a fazer trabalhos voluntários na África. O que inicialmente seria uma curta temporada para reconstruir casas na devastada Uganda se torna em um envolvimento político no Sudão. Enquanto espera por apoio financeiro para ajudar crianças desabrigadas e levanta armas contra os rebeldes no poder, Sam terá de encarar novos dilemas: dar atenção à sua família, manter a sua fé e confrontar um passado violento que ele pensava ter deixado para trás.






É incrível como algumas pessoas têm a capacidade de se doarem por inteiro em prol de causas que, muitas vezes, não são exatamente a delas, por isso o personagem central_ um personagem real cabe salientar mais uma vez_Sam Childers chama a atenção, pois ele arrisca a própria vida para ajudar pessoas, em especial crianças, que ele sequer conhecia. É claro que não estou aqui para defender uma crença me particular, então não focarei minha opinião  para o lado religioso e sim para o lado humanitário (afinal de contas o filme retrata a história de uma homem que após converter-se religiosamente acaba por tornar-se um pastor). Como assim? Simples. É preciso reconhecermos que como seres humanos devemos ter mais humanidade para com o nosso próximo, o que, é claro, não ocorre em relação ao sudaneses perseguidos e massacrados, se bem que é claro também que o próprio Childers demonstra uma certa rudeza, assim seus atos poderiam ser justificados_ o que não os classificaria como aceitáveis_ como meras consequências do "olho-por-olho-e-dente-por-dente" visível no filme.Mesmo assim, ainda recomendo o filme para reflexão, ainda que este não seja o objetivo da história. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Meta de leitura 2016

Uma lição sobre o suicídio

Expressões idiomáticas ao pé da letra