Li & Recomendo: Deixados para trás

Olá pessoal, olha eu aqui novamente com resenha fresquinha para vocês. Bom, comecei este ano a releitura de uma extensa série de livros cristãos e gostaria de postar minhas considerações sobre esta releitura maravilhosa. Se você nunca ouviu falar sobre a série de livros "Deixados para trás" ou se já ouviu, mas precisa de uma empurrãozinho para começar a lê-la, dá uma olhada na resenha abaixo e já corre para garantir o primeiro exemplar desta série que promete! Espero que apreciem a resenha 😃


Uma história sobre o fim dos tempos

Em tempos difíceis pelos quais estamos passando, é muito natural nos perguntarmos para onde a humanidade caminha, afinal são tantas tragédias causadas pelo homem em sua eterna luta contra si mesmo e contra a natureza que não é difícil alguns questionamentos surgirem, especialmente os que se ligam a questões espirituais, pois na mesma medida em que o mundo parece beirar o caos sem volta, muitos têm se voltado para algum tipo de religiosidade a fim de se tornarem pessoas melhores e, quem sabe, salvarem a si na eminência do fim.
Visões religiosas variadas tentam dar conta de explicar o homem, o universo e como as coisas serão devidamente ajustadas em seu determinado tempo. Uma dessas vertentes cosmo-visionárias para estas questões universais é a cristandade, tanto que é muito natural vermos, hoje em dia, o crescimento de instituições religiosas cristãs em países como o Brasil de fé predominantemente cristã, por exemplo, o que nos leva à alguns questionamentos, tais como: você já se preocupou com a salvação de sua alma? Já parou para pensar na possibilidade das profecias bíblicas não serem apenas histórias para assustar criancinhas? E se o Arrebatamento bíblico ocorresse e você fosse deixado para trás?
Na ânsia de buscar respostas ou alento para os questionamentos como os realizados no parágrafo acima é que muitos de nós  podem recorrer a algum tipo de literatura cristã que nos faça pensar no e se de forma muito mais contundente, como a proposta por trás da coleção de romance cristão mais famoso dos últimos tempos: a série de livros Deixados para Trás (United Press, 416 p.), de autoria de Tim LaHaye e Jerry B. Jenkins.
Com um enredo sobre o fim dos tempos baseado no livro mais cabuloso da Bíblia, o Apocalipse, Deixados para trás, é o primeiro de uma série longa composta por treze livros, que narram a saga de quatro personagens centrais: o piloto comercial Rayford Steele e sua filha Chloe, o repórter Cameron Williams, mais conhecido como Buck, e o pastor da igreja Nova Esperança, Bruce Barnes. Estes personagens se unem quase que por um acaso após o pânico se espalhar pelos quatro cantos do mundo quando simultaneamente milhares de pessoas desaparecem sem nenhuma explicação.
Todos aqueles que não sumiram no misterioso evento terão que enfrentar todo tipo de calamidade, o que fará boa parte da população mundial desaparecer da face da Terra, situação esta que se tornará ainda mais insuportável para os inimigos do Anticristo que não irá medir esforço para extirpar do planeta todos os cristãos remanescentes que não irão aderir a nova ordem mundial profetizada vários séculos antes no livro das Revelações mais conhecido como Apocalipse.
O livro de LaHaye e Jenkins  proporciona ao leitor um tipo de narrativa dinâmica que consegue prendê-lo, nem que seja pela curiosidade de saber como o Apocalipse da bíblia se encaixa dentro da narrativa, sendo um  tipo de leitura que chama a atenção tanto daquele leitor que não é cristão como do cristão alienado em relação a narrativa bíblica ou do cristão que conhece o texto bíblico de cor.
Entretanto, Deixados para trás, apesar de indicado para mais de um público, não será o tipo de livro que agradará a todos, ainda mais pela forte conotação teológica cristã que, certamente, não é tendência entre todas as pessoas; por isso, antes de se aventurar pela trama cabe pensar se seu nível de interesse o fará receber a história de mente aberta, isso para os não-cristãos, ou o fará receber a história com certo grau de afastamento de convicções religiosas já que a teologia pré-tribulacionista não é unanimidade entre os cristãos. Assim, passada uma autoanalise livre de pré-conceitos sobre o livro será possível a todos lerem a história sobre o Arrebatamento numa perspectiva mais neutra e livre de desconfortos. Leitura recomendada!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Expressões idiomáticas ao pé da letra

Uma lição sobre o suicídio

Financiamento estudantil vale a pena?